RIBEIRO ROCHA JULIO 
PORQUE DEIXEI A IGREJA CATÓLICA
PORQUE DEIXEI A IGREJA CATÓLICA

 Fui católico durante 67 anos. Assisti várias missas celebradas em latim, porém,  já existia a Bíblia Sagrada  em português. Desta feita, os féis, que não conheciam o latim, nada entendiam.

Os padres celebravam as missas de frente para o altar, e as costas para os fiéis. As primeiras palavras dos padres: “In nomine Patris et Filii et Spiritus Sancti ”, cuja tradução para português é: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

A maioria dos fiéis era pessoas humildes, que não entendiam bulhufas de latim,  respondia: Amémm!!!!

Finalmente, Roma deu ordem para celebrar as missas em português. A partir de então os congregados entendiam tudo que saia das bocas padrescas.

Eu, minha esposa e minha sogra éramos fiéis às doutrinas de Romana. Não existiam doutrinas bíblicas, senão as doutrinas da Religião Católica Romana. De tal sorte, os fiéis não recebiam explicações sobre as passagens das Escrituras. E assim, faltavam-lhes conhecimento bíblico, bem como crescimento espiritual, posto que a palavra de Deus era totalmente desprezada, sendo válido o que vinha de Roma papal. Os fiéis cumpriam os dogmas, ensinos e tradições, não sendo, portanto, necessário consultar a Bíblia Sagrada.

 

O confessionário

Dentro das igrejas Católica Romana existia uma casinha que só cabia uma pessoa sentada, e tinha uma janelinha com uma tela bem fininha. Os padres entravam e se sentavam com o ouvido colado numa telinha; e, pelo lado de fora, os pecadores se ajoelhavam frente para os padres, e contavam-lhes os seus pecados.

Naquela confissão saia de tudo: adultério, homicídio, roubo, brigas, e os mais variados pecados.

Terminada a confissão, os padres lhes perdoavam, porém, recebiam uma pena chamada de penintência, que implicava em rezar dez Pai Nosso e  dez ave-Maria.

 Deste modo, os fiéis à doutrina romanista - homem e mulheres - se ajoelhavam como um desgraçado pecador, e se levantavam zeradinhos dos seus pecados.

Coisa totalmente absurda, pois Jesus nos ensinou o contrário, na oração do Pai Nosso, conforme Mateus,  capítulo 6, versículo 9, que diz:  

 Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;”

No versículo 12, do mesmo capítulo 6, disse Jesus: 

 “Perdoa-nos as nosss ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos ofenderam.”

Ao terminar a oração do Pai Nosso, Jesus sintetizou bem sobre de quem deve partir o perdão dos que ofendem uns aos outros, dizemdo: Porque se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;  Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.” (Mateus 6:14-15)

Vê-se, claramente, que é o ofendido quem perdoa o ofensor. 

Os padres perdoavam quem praticava adultério, cujo pecado é proibido por Deus (Êxodo 20:14).

Sobre o adultério, disse Jesus:Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.” (Mateus 5:28)

O pecado da cobiça é muito complicado, tanto para o homem, quanto para a mulher. E assim, só  Deus perdoa.

Os padres, porém, se colocavam acima de Deus e acima de Jesus, e perdoavam os pecados de adultérios. O falso perdão dos padres incentivava os pecadores a continuarem iludidos por não examinarem as Escrituras, conforme mandou Jesus (João 5:39)

JESUS abre as portas do Céu para os que creem

No versículo 4, do capítulo 14, do Evangelho de São João, Jesus instrui os discípulos disse que eles sabiam para Ele ia, e eles conheciam o caminho, dizendo: “Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.” 

Tomé, sem entender, certamente os demais discípulos também não entenderam,  perguntou a Jesus: “Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?” (Versículo 5, do mesmo capítulo 14)

 

JESUS respondeu a pergunta de Tomé, dizendo:

Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim. (Evangelho de São, capítulo 14:6)

Tanto na salvação, quanto nas nossas orações, só chegaremos a Deus através de Jesus.

São João na sua 1ª Epístola, capítulo 2, versículo 1, diz quem pode nos socorrer nos nossos pecados.

MEUS filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.”

O apóstolo está se referindo aos salvos pela Maravilhosa Graça, mediante a fé (Efésios 2.8-9)

Por não conhecerem as Escrituras, os seguidores do papa acham que os padres perdoam os seus pecados. 

 

Os intercessores nas nossas orações

A Palavra de Deus, que é a única verdade, diz quem são os intercessores nas nossas orações.

O Espírito Santo intercede nas nossas orações até gemendo, conforme Romanos, capítulo 8, versículos 26 e 27:

“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabermos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos.”

JESUS intercede também

O outro intercessor é JESUS, conforme o mesmo capítulo 8, de Romanos, versículo 34, que diz:

Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou de entre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.” 

A doutrina da igreja Católica Romana despreza o livro santo de Deus, e ensina pedir a intercessão de santa Maria – chamando-a até de nossa senhora; pedindo também a intercessão dos anjos.

Enganados, por não examinarem as Escrituras (João 5:39) os seguidores da doutrina papal iniciam suas rezas se dirigindo a Deus, porém, subitamente trocam Deus por quem morreu,  dizendo: “Por intercessão da virgem Maria.”

Deus condena quem roga aos mortos  

 No livro de Isaías, capítulo 45, versículo 20, diz o Senhor Nosso Deus:

“Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, vós que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e ROGAM A UM DEUS QUE NÃO PODE SALVAR.”

Os seguidores do papa ignoram esta passagem das Escrituras, e ajoelham-se diante de imagens das pessoas que morreram, rogando-lhes:

 “Piedoso São José, rogai por nós, que recorremos a vós”

“Santa Maria, mãe de Deus, tem misericórdia de nós...”

E saem em procissões pelas ruas, carregando suas  imagens, cantando-lhes louvores e orando a elas.

Deus proibiu a utilização de imagens

No livro de Deuteronômio, capítulo 5, versículos 8 e 9, diz Deus:

 Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.  Não te encurvarás a elas nem as servirás;”

A mesma proibição de Deus tem no livro de Êxodo, capítulo 20, versículos 1 a 4.

NOTE BEM: “...nem alguma semelhança do que há em cima nos céus...”

No livro de Levítico, capítulo 19, versículo 4, diz Deus:

“Não vos viraras para os ídolos, nem vos fareis deuses de fundição. Eu sou o SENHOR, vosso Deus” (Levítico 19:4)

Salmo 115, versículo 8, diz que se tornam semelhantes aos ídolos  os que os fazem e todos os que neles confiam.

No livro de Isaías, capítulo 42, versículo 8, diz o Senhor Deus: “Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura.” (Isaías 42:8)

Por não examinarem as Escrituras (João 5:39), os fiéis à doutrina do papa louvam: “Neste dia, ó Maria, nós te damos o nosso amor.”

Os papistas afrontam Deus cantando louvores aos mortos.

Deus não permite consultar os mortos

Em Deuteronômio, Capítulo 18, versículos 10 a 14, está escrito:

“Entre ti se não achará quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador de encantamentos, nem quem consulte um espírito adivinhante, nem mágico, nem quem consulte os mortos, pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR, teu Deus, as lança fora de diante de ti.  Perfeito serás, como o SENHOR, teu Deus.  Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR, teu Deus, não permitiu tal coisa.” 

Esta referência é sobre os judeus, que era o povo escolhido de Deus – o povo santo.

Todavia, quem se converte ao Evangelho da Maravilhosa Graça, e deixa todas as coisas proibidas pelas Escrituras, fará parte da geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido, e povo de Deus. (1ª Pedro 2:9-10) 

Quando Deus diz perfeito serás, como o SENHOR, teu Deus, Ele está dizendo que os salvos em Cristo Jesus devem cumprir tudo que está escrito nas Sagradas Escrituras, não podendo, portanto, servir a Deus e servir às imagens, levando-as pelas ruas, praças e avenidas. As quais não nos podem salvar (Isaías 45: 20), nem tampouco nada fazem.

Maria foi sepultada e não ressuscitou

Diz a doutrina da igreja Católica Romana que Maria  ressuscitou e foi elevada ao Céu, estando assentada ao lado de Jesus, intercedendo por nós.

É uma grande mentira, pois o corpo de Maria, a mãe de Jesus, foi sepultado na igreja Natividade, em Jerusalém; e de lá ele não saiu.  E, após o seu sepultamento, ela jamais apareceu em lugar nenhum. É outra grande mentira.

Só Jesus – o Nazareno - ressuscitou

Quem vai visitar o Santo Sepulcro, em Jerusalém, lá está escrito em diversas línguas, que traduzido para o português diz que JESUS ressuscitou. E, após quarenta dias, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus.  (Marcos 16:19)

 

JESUS é o único mediador

 “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem,” (1 Timóteo - Capítulo 2.5)

Mediador é aquele que é intermediário junto a Deus, levando os nossos pedidos, as nossas necessidades.

Com a Palavra de Deus não se brinca. Deus diz quem são os que não Lhe obedecem, conforme Deuteronômio, capitulo 27, versículo 15:

“Maldito o homem que fizer imagem de escultura ou de fundição, abominação ao Senhor, obra da mão do artífice, e a puser em um lugar escondido! E todo o povo responderá e dirá: Amém!

 

A salvação

 “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:8 e 9)

Antes da salvação vem o CRER

Todos que recebem Jesus, tem o poder de serem feitos filhos de Deus; os que creem no nome de Jesus; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus. (João 1:12-13)

O pecador precisa nascer de novo, pois disse JESUS a Nicodemos, que era velho e doutor da lei dos judeus:

Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” (João 3:3)

Diante de uma indagação feita por Nicodemos, respondeu-lhe JESUS: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.” 

NOTE BEM: Nicodemos era um velho, mas precisaria crer em JESUS, e crendo, teria os seus pecados perdoados.  Passando, portanto, por novo nascimento.

O amor de Deus pelo mundo

Porque Deus amou o Mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)

O Filho Unigênito (JESUS) não veio condenar o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele (João 3:17) 

Quem crê no Filho Unigênito não é condenado, mas quem não crê já está condenado; porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus. (João 3:18)

Quem CRER e for BATIZADO

Disse JESUS: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura.  Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.”  (Marcos 16:15-16),

VEJA BEM:

 Primeiro vem o CRER; e crendo ocorre a salvação (Efésios 2:8-9); o batismo é em consequência do CRER.

JESUS foi bem claro, dizendo: “..mas quem não crer será condenado.”

São Paulo disse ao carcereiro: “Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa.” (Atos 16:31)

E ocorrendo a salvação, haverá um casamento da fé com as obras. Sem as obras a fé é morta (Tiago 2:26), porém, a salvação é pela graça, por meio da fé (Efésios 2:8-9),

As obras, que é a prática da caridade (o amor), cooperam com a fé; uma vez casadas (fé e obras), não podem se divorciar, visto que ninguém se salvará se não permanecer com a fé, a esperança e a caridade, sendo a maior destas a caridade (1 Coríntios 13:13). Leia-se também Mateus, capítulo 25, versículos 31 a 46.  

A doutrina romana e a espírita dizem que a salvação é pelas boas obras. ENGANO!

A fé e o crer que vem do Céu

“Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo;” (Efésios 4.5)

Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.” (Judas 1.3)

Note bem: A fé é dada  por Deus aos santos. Estes santos são pessoas salvas em Cristo Jesus, que estão vivas, pois depois da morte segue-se o juízo (Hebreus 9:27), portanto, não há salvação depois do morte, nem tampouco ninguém será declarado santo após a morte. O que vem além disto, é da parte do inimigo das nossas almas.

O que é a fé

ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem.” (Hebreus - Capítulo 11:1)

Explicando bem: Fé no Pai, no Filho e no Espírito Santo. Fé no Deus Uno, que é o verdadeiro Deus.

 A fé que salva

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:8-9) 

Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.” (1ª Coríntios 2:5)

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” (Hebreus 11.6)

Os deuses da Igreja Católica Romana

Por não ter comunhão com Deus, Roma papal criou os seus deuses, conforme citamos alguns abaixo:

- Santo casamenteiro: Santo Antônio. Ele é responsável para arranjar um casamento; 

-  Santo da chuva: São José.

-  Santo protetor dos motoristas: São Cristóvão.

-  Santo protetor dos pescadores: São Pedro.

Deus condenou quem roga a um deus que não pode salvar, conforme já vimos em capítulo desta obra.

Os dois caminhos

JESUS mostrou dois caminhos, conforme Mateus, capítulo 7, versículos 13 e 14, dizendo:

Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;  E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.”  

A doutrina papal, contrariando as Escrituras, criou um terceiro caminho chamado de purgatório para purificar a alma de alguém que morreu em pecado.

Muitos acreditam em tal mentira por não examinarem a Palavra de Deus, que é a única verdade.

JESUS deixou bem explicado que a salvação ocorre em vida, conforme está escrito:

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 7:21)

Quem morre em pecado, não faz a vontade de Deus. JESUS completa sua afirmação em Mateus, capítulo 24, versículo 13, dizendo: Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.” 

Isso implica dizer que o salvo enfrenta as aflições deste mundo (Evangelho de São João 16:33), mas não se afasta da presença de Deus.

JESUS proibiu repetir a mesma oração

Antes de ensinar a oração do Pai Nosso, Jesus faz duas proibições, conforme Mateus, capítulo 6, versículo 7:

E, orando, NÃO USEIS DE VÃS REPETIÇÕES, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.”

No versículo seguinte (8), do mesmo capítulo 6, JESUS faz outra proibição: 

Não vos assemelheis pois a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.”

Desobediente à proibição de JESUS, os papas criaram o rosário e o terço, que é a repetição da mesma oração  dezenas de vezes. E assim não chegará o homem a Deus.

A verdadeira Santa Ceia de Jesus

No Engelho de São Lucas, capítulo 22, versículos 19 e 20, Jesus no dia que seria traído, fez a sua última Santa Ceia, conforme  está descrito:

E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim.  SEMELHANTEMENTE tomou o cálix, depois da ceia, dizendo: Este cálix é o Novo Testamento no meu sangue, que é derramado por vós.”

 

São Paulo confirma a mesma Sana Ceia, dizendo:

Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído tomou o pão;  E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei: isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. SEMELHANTEMENTE também, depois de cear, tomou o cálix, dizendo: Este cálix é o Novo Testamento no meu sangue: fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálix anunciais a morte do Senhor, até que venha.” (1ª Coríntios, capítulo 11, versículos 23 a 26)

Os papas, para sua própria condenação, mudaram, mandando distribuir uma  rodela branca que a chamam de hóstia, dizendo: “Corpo de Cristo!” E os fiéis dizendo: “Amém!”

 

 

Mas os papas, seus bispos e padres, após distribuírem a hóstia, retornam aos seus lugares, e lá eles comem o pão, e em seguida tomam o vinho.

Se a Santa Ceia salvasse, os lideres da igreja iriam para o paraíso e os demais para o tormento eterno.     

 

Quem morreu não aparece

Jesus contou uma parábola de um rico e um mendigo chamado Lázaro, conforme o Evangelho de Lucas, capítulo 16, versículos 19 a 31.

O senhor Jesus disse que havia um homem rico, que se vestia de púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias regalada e esplendidamente.

Esplendidamente, quer dizer de modo esplêndido, brilhante, magnífico.

No versículo 20, do mesmo capítulo 16, Jesus disse que havia também um certo mendigo chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta do rico.

O sentido de jazia é permanecia.

No versículo 21, do capítulo 16, Jesus diz que o mendigo desejava se alimentar com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os cães lambiam as suas chagas.

JESUS continua falando sobre os dois (o rico e o mendigo), conforme se segue:

O mendigo morreu e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e o morreu também o rico e foi sepultado. (Lucas 16:22)

Esta passagem aqui nos chama à atenção, pois o mendigo foi levado pelos anjos, mas o rico não.

Estando o rico no Hades, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Lázaro no seio de Abraão. (Lucas 16:23)

 

 

O rico clamou a Abraão, dizendo:

 “Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.”

Abraão respondeu:

”Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu atormentado; E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá.”(Lucas 16:25-26)

O rico se desespera, e faz nova petição a Abraão, a fim de mandar Lázaro à terra:

“Rogo-te pois, ó pai, que o mandes a casa de meu pai,  pois tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento.” (Lucas 16:27-28)

Abraão lhe Respondeu:

“Têm Moisés e os profetas: ouçam-nos.” (Lucas 16:29).

O rico não desiste em prol dos seus parentes, e apresentou a Abraão a sua última petição:

“Não, pai Abraão; mas, se algum dos mortos fosse ter com eles arrepender-se-iam.” (Lucas 16:30)

Abraão deu uma resposta desanimadora, não só para o rico, mas para os que dão “ouvidos a espíritos enganadores e doutrinas de demônios” (1ª Timóteo 4:1)

“Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tão pouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite.” (Lucas 16:31)

A falsa aparição de Maria, a mãe de Jesus.

Ora, pela parábola citada por Jesus, fica bem claro que quem morreu não vem à terra, nem tampouco tem contato com os vivos.

Nem Elias e Enoque, que foram arrebatados em corpo e alma, tem tal poder. 

Roma Papal, porém, engana o mundo, há quase dois mil anos, citando mais de cem aparições de Maria, a mãe de Jesus, em várias partes do mundo.

O povo acredita em tais coisas porque não examina as Escrituras (João 5:39).

Quero citar as duas padroeiras: a do Brasil e do Rio Grande do Norte.

A padroeira do Brasil

Dizem os relatos que em 1717, no mês de outubro, no Vale do Paraíba, no tempo da fartura de peixe, três pescadores lançaram suas redes à água, e nada de peixe! E insistindo, ao lançarem a rede, veio um corpo pequeno de uma imagem de cor preta, e jogando outra vez a rede, veio uma cabeça, também de cor preta, e colando-a na outra parte, formou uma imagem, que a chamaram de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, chamando-a de a mãe de Jesus.

Para a mentira ficar oficializada como verdade, no dia seguinte, os mesmos pescadores, no mesmo lugar e rio, jogaram a mesma rede pescadora da imagem, e veio peixe em abundância.

 A padroeira de Natal

A história da padroeira de Natal é bem parecida com a da imagem do Vale do Paraíba – a padroeira do Brasil.

Manhã de 21 de novembro de 1753, no rio Potengi, uns pescadores encontraram um caixote encalhado numa pedra. Os pecadores abriram o caixote, e lá estava uma imagem, rodeada com uma faixa, com a inscrição: “onde esta imagem parar nada de ruim acontecerá”.

Batizaram a imagem com o nome de Nossa Senhora da Apresentação, também chamaram-na de a mãe de Jesus.

Qual o significado de padroeiro (a)?

Diz o dicionário da língua portuguesa: É aquele que tem o padroado, patrono, protetor.

Faz 300 anos que a imagem foi pescada no Vale do Paraíba. Durante estes 300 anos muitas desgraças tem acontecido no Brasil. E a imagem, que devia proteger o Brasil, nada fez. NEM O FARÁ. Pois o dono do poder é DEUS!

De igual sorte, são decorridos 264 anos, que  a padroeira de Natal foi pescada nas águas do rio Potengi; Durante esse tempo muita coisa ruim aconteceu. E a protetora da cidade, nada fez. NEM O FARÁ. Pois quem controla tudo é DEUS.

NOTE BEM: Que poder tem uma imagem comprada numa loja, com até nota fiscal? Que poder tem uma imagem que cai e se quebra, não conseguindo nem livrar a si mesma. Que poder tem uma imagem que não consegue nem tirar a poeira do seu próprio corpo, precisando de alguém para limpar-lhe a sujeira?

Maria, a mãe de Jesus,

teve vários filhos.

Jesus ensinava na sinagoga de sua pátria, e todos se maravilhavam, e diziam: “Donde veio a este a sabedoria, e estas maravilhas?” (Mateus 13:54) 

Os da sinagoga diziam:

Não é este o filho do carpinteiro? E não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe veio pois tudo isto? E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: Não há profeta sem honra, a não ser na sua pátria e na sua casa.” (Mateus 13:55 a 57)

A primeira reunião dos discípulos de Jesus

No livro de Atos, capítulo 1, versículos 12 a 14, registra a primeira reunião dos discípulos, com a presença de Maria – a mãe de Jesus – e seus filhos, conforme está escrito:  

“Depois que Jesus subiu ao Céu, de onde Ele viera, os discípulos e muitos retornaram para Jerusalém, no monte das Oliveiras. Lá, entraram no cenáculo e subiram, onde habitavam, Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o zelador, e Judas, de Tiago. Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos.” 

 

 

Mais uma prova de que a mãe de Jesus teve filhos.

Veja o que São Paulo escreveu, conforme Gálatas, capítulo 1, versículos 18 e 19:

Depois, passados três anos, fui a Jerusalém para ver a Pedro, e fiquei com ele quinze dias.  E não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.” 

Roma Papal diz ser Maria virgem

A doutrina de Roma Papal diz que Maria, a mãe de Jesus, não teve filhos, chamando-a de virgem Maria, pois ela só teve Jesus. Por fim, os papistas chamam-na de eternamente virgem.

Como a maioria não ler as Escrituras, e quem ler não as entende, milhões de milhões de pessoas vivem enganadas há quase dois mil anos.

As falsas aparições dos

mortos e falsos milagres

 “E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.  Não é muito pois que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça: o fim dos quais será conforme as suas obras.” (2ª Coríntios 11:14 e 15) 

Satanás, como anjo de luz, se faz passar por pessoas que morreram, usando o tipo de roupa que a pessoa usava, com a mesma voz e outros detalhes.

Ele – satanás – faz falsos milagres, e engana milhões de milhões, milhares de milhares de pessoas que não examinam as Escrituras Sagradas.

 

A verdade de Deus

Lendo o livro de Romanos,  capítulo 3, versículo 4, assim está escrito: “...sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso...”  (Romanos 3:4)

Jesus orando ao Pai pelos seus discípulos, disse:

Santifica-os na verdade: a tua palavra é a verdade.” (João 17:17) 

Estes dois versículos me levaram a estudar e pesquisar duas histórias: A História de Deus – de Gênesis a Apocalipse, e a história escrita pelo homem, que é a História da Humanidade.

Fui buscar a História da Humanidade a partir dos séculos III e I antes de Cristo. E isto o veremos nesta mesma obra. 

A falta de comunhão

com Deus

Lendo as Escrituras Sagradas, que é a única verdade, e nelas  meditando, tive, inicialmente, muita dificuldade para entender o que Deus falava e fala através do Seu Santo Livro.

 As próprias Escrituras foram, vagarosamente, dando-me as respostas para tanto engano religioso, conforme os textos bíblicos já citados nesta obra.

Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto.  Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.” (2ª Coríntios 4:4) 

Eu era um desses incrédulos, pois rejeitava a Palavra de Deus, e seguia fielmente as doutrinas enganosas ditadas pelos papas. Pois, conforme está escrito o deus deste século cegava-me o entendimento, mas resplandeceu em mim e em minha querida esposa   a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus, resgatando-nos das trevas, trazendo-nos para a MARAVILHOSA LUZ.

E assim, há dez anos deixamos os enganos da Igreja Católica Romana, a fim de servir ao REINO DA MARAVILHOSA GRAÇA SALVADORA. AMÉM!