RIBEIRO ROCHA JULIO 
JESUS CUMPRIU A LEI
JESUS CUMPRIU A LEI

 São muitos os comentários a respeito de Mateus, capítulo 5, versículo 17, que diz:

“Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.”

Nosso Jesus amado cumpriu tudo quanto estava escrito a Seu respeito, conforme assim passamos a narrar.

As profecias sobre a vinda do Filho de Deus e todas as coisas que Lhe aconteceriam,  foram divinamente anunciadas pelos profetas Samuel, Isaías, Oséias, Jeremias, Miquéias,  Daniel, Zacarias, I Crônicas  e vários Salmos, e cumpridas conforme os registros de Mateus, Lucas, Marcos e ‘João.

As citações proféticas falam a respeito do Filho de Deus, especialmente quando diz que Ele passaria pelas piores das humilhações até à morte numa cruz, contado entre dois malfeitores, e tido como maldito. Tudo isto Ele sofreria para nos salvar.  

Cumprimento das profecias sobre o nascimento de Jesus

“Ora o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente. E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Daví, não temas receber a Maria tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo; E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Jesus; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.” (Mateus 1:18-21)

Estas coisas aconteceram para se cumprir o que foi anunciado pelo profeta, que diz:

“Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. (Isaías 7:14)

Emanuel significa Deus conosco.

O anjo também falou com Maria

“Disse-lhe então o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus; E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.” (Mateus 1:30-33)

Início da perseguição contra Jesus, conforme está escrito:

“...eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo:

Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga: porque Herodes há de procurar o menino para o matar. 14 E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe de noite, e foi para o Egito.” (Mateus  2:13-14)

A fuga de Jesus para o Egito foi para cumprir o que foi predito pelo profeta, assim anunciado:

“...e do Egito chamei a meu filho.”  (Oseias 11:1)

            O cumprimento das profecias sobre a vida pública de Jesus enfrentando a ira dos opositores do Reino de Deus, fê-lo suportar sofrimentos que o ser humano normal jamais suportaria.

Suas obras, com operação de prodígios, curas e maravilhas, causaram espanto a todos, o que era motivo de inveja para os perseguidores de Jesus. Daí, os seus algozes não lhe deram guarida até leva-lo à cruz do calvário, onde foi crucificado entre dois malfeitores e contado como maldito, e nada protestou, a fim de ser cumprido o que foi dito pelo profeta Isaías, capítulo 53, versículo 7, que diz:

            “Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.”

            Sendo o Santo dos Santos, Jesus outras palavras não as disse, senão estas:

“Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem.” (Lucas 23:34)

Nos seus últimos instantes, com o Seu sangue se esvaziando do corpo, disse a um dos malfeitores que estavam crucificados com Ele:

“Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” (Lucas 23:43)       

O instante final de Jesus, tudo a seu respeito foi cumprido

“Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede. Estava pois ali um vaso cheio de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja, e, pondo-a num hissope, lha chegaram à boca. E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito” (João 19:28-30)

Jesus amado, sabedor de tudo quanto sofreria aqui na terra, cumpriu inteiramente a lei, conforme Ele mesmo disse em Mateus 5:17.

Cristo Jesus tudo sofreu para nos resgatar das trevas, oferecendo-nos gratuitamente o Reino da Salvação,  pagando por isto um preço altíssimo, que só Ele o suportaria.

Jesus, porém, não abriu mão do seu projeto redentor, sendo Ele mesmo o próprio Redentor. Que redime todos os nossos pecados.

Grande é o Reino do Cristo Jesus, cheio de profundo  amor ao afirmar:

“Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” (Apocalipse .3:20)

O amor dEle por nós carece de uma profunda reflexão, coisa, aliás, que poucos reconhecem, visto que a maioria segue rumo totalmente diferente do caminho do Reino de Deus, bem narrado nas Sagradas Escritura, preferindo, destarte, o caminho largo, cuja porta é espaçosa, que os leva à condenação eterna, assim anunciado por Jesus, em Mateus 7:13-14.