RIBEIRO ROCHA JULIO 
O AMÉM E A PAZ DO SENHOR SOMEM DAS IGREJAS
O AMÉM E A PAZ DO SENHOR SOMEM DAS IGREJAS

Temos observado, há tempo, que o Amém e a paz do Senhor vem sendo desprezados pelo homem nas Igrejas.

Aqueles – do púlpito ou não - que se dirigem aos irmãos, saudando-os com a paz do Senhor, raramente são correspondidos ao ponto deles mesmos  cobrarem: A PAZ DO SENHOR, irmãos! 

O mais grave, contudo, é sobre o Amém. Alguns pregadores ou quando orando, estão esquecendo do Amém, e os da nave das igrejas, estes são os que não dizem mesmo. Todavia, alguns que estão à frente cobram: AMÉM, irmãos! Mesmo assim, sai um Amém pingado. Eles se esqueceram que o Amém também é o nome do Filho do Homem, conforme está escrito:  

“E ao anjo da igreja que está em Laodiceia escreve: Isto diz o Amem, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus;” (Apocalipse 3:14)

Um pastor cobrou o Amém três vezes. E quase não ouvimos  a igreja corresponder.

O homem não pratica mais estas coisas, senão o verdadeiramente santo. De há muito, surgiu o modismo, as falsas curas, falsas profecias, mensagens para todos os gostos. O evangelho do homem para o homem, e pelo homem. E assim, preferiu o homem emprestar a boca ao espírito da mentira, operando para o reino da mentira.

Contudo, nem toda igreja aceita tais comportamentos.