RIBEIRO ROCHA JULIO 
O CÁLICE QUE BEBEU JESUS
O CÁLICE QUE BEBEU JESUS

Qual é a mãe que não deseja o melhor para seus filhos? Com a mãe dos filhos de Zebedeu, Tiago e João, não poderia ser diferente. Ela, acompanhada pelos dois filhos, aproximou-se de Jesus, fazendo-lhe um pedido, porém, sem ter noção sobre o seu pleito.

Vejamos, então, a petição daquela tão zelosa mãe, conforme nos relata Mateus, capítulo 20, versículos 20 e 21:

“Então se aproximou dele a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e fazendo-lhe um pedido.  E ele diz-lhe: Que queres? Ela respondeu: Diz que estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino.”

Respondendo, disse Jesus:

“...Não sabeis o que pedis; podeis vós beber o cálice que eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? Dizem-lhe eles: Podemos.” (Mateus 20:22) 

E CONCLUIU JESUS:

“Na verdade bebereis o meu cálice, mas o assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado.” (Mateus 20:23) 

O dicionário da língua portuguesa aponta a palavra CÁLICE com vários significados, dentre os quais cita agonia e tormento.

Agonia significa última luta contra a morte, momento que antecede a morte e aflição.

O dicionário bíblico  VINE, editado pela CPAD, explica que no Novo Testamento é usado muitas vezes em referência à maioria do sofrimento de Jesus.

Por fim, tal sofrimento implica em se esvaziar de tudo até às fezes, seguindo-se a morte.

Por tudo isto passou Jesus. E os santos Apóstolos. Não obstante, tais massacres continuam até aos nossos dias. Dezenas de países, que não conhecem a verdade, perseguem os santos de Nosso Senhor Jesus Cristo, aplicando-lhes torturas horrorosas, levando-os à morte. Agentes do governo de alguns países torturam até as crianças inocentes. E, elas tem se rendido aos pés de Deus, enfrentando a morte levada pelos mensageiros do mal.