RIBEIRO ROCHA JULIO 
O JULGAMENTO DE JESUS
O JULGAMENTO DE JESUS

“RUDE CRUZ SE ERIGIU, DELA O DIA FUGIU, COMO EMBLEMA DE VERGONHA E DOR, MAS COMTEMPLO ESTA CRUZ, PORQUE NELA JESUS DEU A VIDA POR MIM, PECADOR” (Do Hino 291, da Harpa Cristã) 

 

FALSAS TESTAMUNHAS ACUSARAM JESUS DIANTE DO SUMO SACERDOTE CAIFÁS, DIZENDO: “Este disse: Eu posso derribar o  “templo de Deus, e reedificá-lo em três dias.” (Mateus 26:61)

O CAIFÁS PERGUNTOU A JESUS: “Não respondes coisa alguma ao que estes depõem contra ti?” (Mateus 26:62)

JESUS, PORÉM, GUARDOU SILÊNCIO. E CAIFÁS INSISTIU:“...disse-lhe: Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus.” (Mateus 26:63)

JESUS RESPONDEU A CAIFÁS: “...Tu o disseste; digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu.” (Mateus 26:64) 

ACUSANDO JESUS DE BLASFÊMIA, CAIFÁS PERGUNTOU AOS SEUS ALGOZES: “Que vos parece?  eles, respondendo, disseram: É réu de morte.” (Mateus 26:66)

COM AQUELA AFIRMATIVA, ELES CUSPIRAM NO ROSTO DE JESUS, DANDO-LHE MURROS E BOFETADAS. (Mateus 26:67)

E DESAFIAVAM O MESTRE, DIZENDO: “...Profetiza-nos, Cristo, quem é que te bateu?” (Mateus 26:68)

Pilatos sabia que, por inveja, os judeus pediam a condenação de Jesus. De sorte que, mandaram soltar a salteador Barrabás, colocando o Rei dos reis no lugar daquele criminoso de alta periculosidade. 

ENTÃO PILATOS OS INTERROGOU: “... Que farei então de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado.” (Mateus 27:22)

PILATOS, PORÉM, INSISTIU: “...Mas que mal fez ele? E eles mais clamavam, dizendo: Seja crucificado.”(Mateus 27:23)

PILATOS VENDO QUE O CORAÇÃO DOS JUDEUS ESTAVA ENDURECIDO, DISSE: “...Estou inocente do sangue deste justo; considerai isso.” (Mateus 27:24) “...

IRREDUTÍVEL, BRADOU TODO O POVO: “...O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos.” (Mateus 27:25)

A PARTIR DESTE PONTO, JESUS SOFREU IMPIEDOSAMENTE.

Foi açoitado, despido, coberto com uma capa de escarlata. Colocaram-lhe uma coroa de espinhos na Sua cabeça, uma cana na Sua mão direita. E ajoelharam-se diante dEle, e O escarneciam, dizendo: “...Salve, Rei dos judeus.” (Mateus 27:29)

CONTINUARAM COM A SESSÃO DE HUMILHAÇÃO

Cuspiram em Jesus, tiraram-lhe a cana e com ela bateram-lhe na cabeça.   

JESUS FOI LEVADO À CRUCIFICAÇÃO

Levaram-no a um lugar chamado Gólgota, também conhecido por Lugar de Caveira.

Eis que começou a parte mais cruciante desfechada contra o Rei Jesus, o Salvador e Redentor das nossas almas. Pois, assim está escrito: “Deram-lhe a beber vinho misturado com fel; mas ele, provando-o, não quis beber.” (Mateus 27:34)

Crucificaram-no numa cruz. (Mateus 27:35)

Dois salteadores foram crucificados com Ele; um à direita e outro à esquerda. (Mateus 27:38)

AS BLASFÂMIAS CONTRA JESUS

Os que viam quanto Jesus estava sendo humilhado, escarneciam dEle, com insultos e impropérios. (Mateus 27:39-43)

O evangelho de São Lucas relata que até um dos malfeitores blasfemou contra Jesus.

Vejamos:

“...um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós.” (23:39)

O OUTRO MALFEITOR TOMOU A DEFESA DE JESUS, DIZENDO: “...Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?” (23:40) 

E RECONHECEDOR DOS SEUS ERROS, DECLAROU: “E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez.” (23:41)

 E EM SEGUIDA, FEZ UM PEDIDO A JESUS: “...Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.” (23:42)

JESUS, QUE, COM SUA MISERICÓRDIA, RESGATA O PECADOR DAS TREVAS, DISSE-LHE: “...Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” (23:43) 

            O CÉU SE MANIFESTOU

            “E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até à hora nona,  Escurecendo-se o sol; e rasgou-se ao meio o véu do templo.” (23:44-45)

JESUS, COM GRANDE VOZ, CLAMOU AO PAI: “...Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou.” (23:46) 

“E o centurião, vendo o que tinha acontecido, deu glória a Deus, dizendo: Na verdade, este homem era justo.” (23:47) 

ISTO NOS DEIXA PERPLEXOS

“E toda a multidão que se ajuntara a este espetáculo, vendo o que havia acontecido, voltava batendo nos peitos.” (23:48)