RIBEIRO ROCHA JULIO 
O PASTOR DAS GALINHAS FALANTES DIZ DESAFORO
O PASTOR DAS GALINHAS FALANTES DIZ DESAFORO

 

O pastor das galinhas falantes abriu fogo contra o pastor Ciro Sanchez Zibordi. Ele leu um dos livros escritos pelo pastor Ciro, e não gostou do assunto que tratava a obra.

Irado, o pastor das galinhas falantes, saiu cuspindo fogo nos seus cultos. E lançou chamas pesadas contra Ciro, com palavras agressivas, contraditórias à Palavra de Deus

 Em maio às chamas, o pastor protagonista de um testemunho equivocado, além de chamar o seu próximo de canalha, apresentou comportamento adverso ao Reino de Deus.

Ciro, com muita modéstia, escreveu uma carta ao valentão das galinhas falantes, cujo teor transcrevemos a seguir:

“Prezado pastor (pastor?), a paz do Senhor. Não é de hoje que ouço falar que o senhor, em suas cruzadas de milagres, verbera contra a minha pessoa valendo-se de adjetivos fortes e pejorativos. Soube também que o senhor tem demonstrado destempero e desequilíbrio perante o povo de Deus, ao rasgar os meus livros diante de multidões, em várias partes do Brasil. É claro que isso, para mim, não é de todo ruim, pois são muitas as pessoas que passaram a conhecer os meus livros depois de o senhor os ter dilacerado em público. Ou seja, a sua atitude intempestiva, além de demonstrar insegurança quanto a sua chamada, aguça a curiosidade de muitos. Mesmo antes de tomar conhecimento de sua indignação, eu vinha tratando de assuntos diversos relacionados a doutrinas falsas e modismo no meio do povo de Deus de maneira imparcial, à luz da Bíblia e sem a menção de nomes. Não considero edificante referir-me a alguém negativamente por nome. E evito fazer isso. Neste artigo divulgo vídeos pelos quais o senhor mesmo menciona o seu próprio nome. Por que estou fazendo isso? Porque, desde a divulgação de uma “pregação” sua na internet, em março de 2008 – em que o senhor me chama algumas vezes de canalha e diz esbravejando, que deseja encontrar-se comigo no aeroporto -, eu venho orando -, eu venho orando a Deus, a fim de tomar uma posição definitiva quanto ao lamentável acontecimento. E, em razão disso, resolvi agora, neste início de 2009, escrever-lhe esta carta e torna-la pública por meio deste blog, a fim de fazer alguns esclarecimentos. Quando eu escrevi o livro Evangelho que Paulo Jamais Pregaria, em 2006, inseri o seu famoso testemunho do galo e da galinha porque ele estava sendo motivo de zombaria na internet, denegrindo a imagem do povo de Deus e depondo contra o evangelho. Eu creio que o senhor já conhece o depreciativo vídeo abaixo, em que o autor divulga parte do seu testemunho. Ele aproveita o próprio áudio de uma de suas pregações, mas acrescenta imagens pelas quais zomba de certos procedimentos evangélicos (se bem que o versículo citado ao final indica que o autor do vídeo também é evangélico.”

É lamentável que o pastor das galinhas falantes não conheça o que está escrito em Mateus, capítulo 5, versículos 44 e 45, que diz:

“Eu, porém vos digo: Amai a vossos inimigos, bem-dizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem;  Para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.”

O pastor das galinhas falantes não conhece o amor ao próximo, pois em vez de perdoar e amar, ele preferiu dizer palavras agressivas; atentatórias à moral e aos bons costumes, que causam deleite ao chefão do reino deste mundo.

Ele não leu o que diz Mateus, capítulo 6, versículos 14 e 15, conforme está escrito.

Vejamos:

“Porque se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.

E não havendo perdão, o caminho será o tormento eterno. Se o pastor dono da família galinácea falante não pedir perdão, e não se arrepender dos seus pecados, antes da morte física, se o nosso Pai Celestial não usar de misericórdia, ele certamente morrerá duas vezes – terá morte física e espiritual. A decisão é dele!

Contudo, assim falou Jesus:

“Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizámos nós em teu nome? E em teu nome não expulsámos demónios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas?  E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.” (Mateus 7:22-23)