RIBEIRO ROCHA JULIO 
RETORNO DE PADRINHO JOÃO
RETORNO DE PADRINHO JOÃO

       Padrinho João retornara na tarde do quarto dia, mas, como não era esperado, caminhou a pé os dois quilômetros. Cheio de alegria, ao chegar à porta da casa grande, gritou para madrinha Guilhermina:

  • Guilhermina!!!... Eu comprei um terreno que tem arisco para plantar feijão, mandioca, batata doce e inglesa, inhame e macaxeira. Tem muitos pés de caju, manga, côco e jaca.
  • E água?!... Tem? - perguntou madrinha Guilhermina pulando de alegria.
  • Água!? Sim, a água de beber é de Vera Cruz, e de gasto é do barreiro local, mas, está quase seco. Mas, Vera Cruz é bem pertinho.
  • E como é o nome do lugar?
  • É Pitombeira.
  • Quando a água do barreiro secar, onde o gado vai beber?
  • Em Vera Cruz.
  • Quanto custou o terreno?
  • Vinte mil contos de réis.
  • Quando é que nós vamos para lá?
  • Se Deus quiser, ainda este mês.

Naquela mesma semana, reunido com os seus filhos, padrinho João lhes comunicou haver comprado a propriedade, e como Zezinho era o mais velho ficaria tomando conta da fazenda do Uirapuru.