JESUS PERANTE O SINÉDRIO
JESUS PERANTE O SINÉDRIO

 

Preso, Jesus foi conduzido, inicialmente à presença de Anás, por ser sogro de Caifás, que era o sumo sacerdote daquele ano, conforme nos relata o Evangelho de São João, no seu capítulo 18, e versículo 13.

Após interrogar a Jesus, Anás O mandou , manietado, ao sumo sacerdote. Caifás (João 18:24)

Manietado significa atar as mãos, tirar a liberdade.

Jesus perante Pilatos

Após longo interrogatório, Caifás enviou Jesus à presença de Pilatos, que era governador da província da Judéia,  nomeado por Tibério, imperador de Roma.

Inicialmente, Pilatos perguntou aos que levaram Jesus preso: “Que acusação trazeis contra este homem?” (João 18:29)

Os judeus e os demais responderam ironicamente a Pilatos, dizendo: “...Se este não fosse malfeitor, não to entregaríamos.” (João 18:30)

A acusação dos judeus era uma condenação. Por eles Jesus já estava condenado! 

Ante  a resposta recebida, disse Pilatos aos judeus: “Levai-o vós, e julgai-o segundo a vossa lei. Disseram-lhe então os judeus: A nós não nos é lícito matar pessoa alguma.” (João 18:31)

William MacDonald no seu livro Comentário Bíblico Popular do Novo Testamento, diz: “Pilatos tentou fugir da responsabilidade jogando-a de volta sobre os judeus. Se eles tinham julgado Jesus e decidido que ele era culpado, então por que não O sentenciaram segundo a sua lei? A resposta dos judeus foi muito significativa. Eles disseram, em tantas palavras: “Não somos uma nação independente. Temos de ser dirigidos pelo poder romano – grifo nosso. O poder civil foi tirado de nossas mãos e não temos o direito de executar ninguém.”

Pilatos, em particular, interrogou a Jesus outra vez, e ponderava a não aceitar a proposta dos judeus, que seria soltar o salteador Barrabás e condenar a Jesus, porém, não apresentavam provas contra o Salvador.  Eles tão-somente diziam: “Crucificai-o! Crucificai-o!”

Pilatos, insistentemente, tentou evitar a condenação de Jesus e soltá-Lo, porém, o ameaçaram, dizendo: “”....Se soltas este, não és amigo de César; qualquer que se faz rei é contra o César.” (João 19:12)

Pilatos, então não querendo enfrentar o julgamento de César, sentenciou o Messias à morte de cruz, sendo cantado como maldito. Conduto, o Pai o ressuscitou ao terceiro dia, e está assentado à direita de Deus. ( Marcos 16:19)