O CONSELHO DE NICÉIA DE 787 APROVOU A PERDIÇÃO ...
O CONSELHO DE NICÉIA DE 787 APROVOU A PERDIÇÃO ...

 O CONCÍLIO DE NICÉIA DE 787 APROVOU A PERDIÇÃO DO MUNDO

O Concílio de Nicéia foi convocado mediante um edito imperial, e teve sede em Niceia, na data de 24 de Setembro 787.

A convocação do conselho foi anunciada ao papa Adriano I, o qual assumiu o seu pontífice de 772 a 795, em uma carta assinado pelo Imperador Constantino VI, que era menor de idade,  e por sua mãe, a Imperatriz Irene.

Dentre muitos assuntos, o conselho dogmatizou o uso de imagens de pessoas falecidas, inclusive das canonizadas pelo papa.

Outro assunto tratado e aprovado foi a questão da intercessão feita aos mortos. 

Segundo pesquisamos, formaram o conselho, além do imperador e da imperatriz, os representantes das Igrejas Católicas Romanas e Ortodoxa.

O dicionário pátrio diz que Igreja Ortodoxa é o conjunto das igrejas cristãs da parte oriental do império romano. É também o nome que a igreja Grega se atribui.                                                              

Vejamos, pois os pontos falhos do conselho:

Ao dogmatizar o uso das imagens, foi decretado como legal o que o Senhor Deus proibiu em Êxodo 20:3-5:

“Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás;” – Grifo nosso.

O Conselho de Nicéia não leu as referências seguintes, que tratam do mesmo assunto:

Levítico 19.4; Deuterenômio 4.12; Mateus 4.10; João 4.24; Atos 17.14; 1 João 5.21; e tantas outras passagens.

Já ouvimos comentários dos que defendem esta prática, dizendo: “Mas Deus não proibiu fazer a imagem dos santos que estão no céu, não.”

Ora, no Céu só tem santo. Deus é santo. Jesus é santo. O Espírito Santo é santo. Os arcanjos, querubins e serafins, também chamados de anjos, são santos. Desta feita, no Céu não existe nenhum animal, nenhum bicho ou alguma criatura que não seja santo.

Deus disse: “...nem alguma semelhança...”

Ao aprovar a intercessão aos seres humanos que pela terra passaram, o Conselho de Nicéia se opõe a tudo quanto está escrito no Novo Testamento, conforme numeramos alguns pontos,  a seguir:

1) “Tem misericórdia de mim, ó Senhor, pois a ti clamo todo o dia.  Alegra a alma do teu servo, pois a ti, Senhor, levanto a minha alma. Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que te invocam.” (Salmo 86:3-5)

Os papistas, contudo, invocam quem não lhe pode socorrer, dizendo: “Santa Maria, Mãe de Deus...Rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte.” (Catecismo da Igreja Católica -  edição típico vaticana – aprovado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Brasília, 1998 – página 687)

2) “Eu amo o que me amam, e os que de madrugada me buscam me acharão.” (Provérbios 8:17)

O homem do pecado, rejeita este mineiro que Deus lhe disponibiliza, e parte para lugares distantes em busca de quem não é Deus. E naqueles lugares se ajoelha diante de imagens representando gente morta, que não tem poder alguém. 

3) “Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.” (1 Timóteo 2:5)

Este versículo deixa bem claro que “...um só Deus...” é para todas as nações, todas as raças. E não há outro!

Desta maneira, também fica claro que em vão o homem recorre a quem não Deus. Nem tampouco tem poder!

4) “E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. Aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos.” (Romanos 8:26-27)

5) “Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu ou, antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.” (Romanos 8:34)

E agora! Como vimos só Jesus e o Espírito Santo são os intercessores dos que servem a Cristo. E quem serve ao Senhor são os da verdadeira Igreja de Cristo, que formam o seu corpo, cuja cabeça é Ele (Jesus Cristo).

6) Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis: a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (São Tiago 5:16)

Assim sendo, os justos só oram a Deus. Só cantam louvores a Deus.

7) No Evangelho de São João 14:6, diz Jesus: “...Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim.”(João 14:6)

Desta sorte, Jesus é o caminho para a nossa salvação, bem como para chegar as nossas orações ao nosso Pai Celestial.

8) No Evangelho de São João, capítulo 14:13-14, disse Jesus: “E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.  Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.”

Jesus disse que pedisse em Seu nome. Observa-se, claramente, que Jesus também é Deus ao dizer: “..eu o farei..”

Com efeito, devemos pedir tudo para a Sua Glória, segundo o Seu desejo.

Itamir Neves, no seu livro Comentário Bíblico de João através da Bíblia, diz: “Orações feitas em nome de Jesus devem ser de acordo com aquilo que Jesus representa, isto é, Jesus é o único caminho de acesso a Deus. Ele sabe o que é bom para nós!”

9) No mesmo Evangelho de São João, capítulo 15:7, Jesus acrescenta uma mina de ouro aos versículos 13 e 14, do capítulo 14, dizendo:Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.”

Note bem: Jesus é o sumo sacerdote, conforme Hebreus, capítulo 8,  versículo 1, que diz: “Ora, a suma do que temos dito é que temos um sumo sacerdote tal, que está assentado  nos céus à destra do trono da Majestade.”

A mesma epístola aos Hebreus, apresenta Jesus como sumo sacerdote mais de 16 vezes.

Ele, que é o sumo sacerdote, também é o bom pastor e dá a sua vida pelas ovelhas (Evangelho de João 10:11), cujas ovelhas são os membros de Sua Igreja (1 Coríntios 12:12-27).

Os papistas, contudo, desprezaram o verdadeiro pastor celestial; e assim,  preferiram fazer petições aos mortos, levantando-lhes imagens que caem e se quebram, não livrando nem a elas mesmas.

10) Na Primeira Epístola de São Paulo a Timóteo, capítulo 2, versículo 5, diz: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.”

Aqui temos a unicidade de Deus. Um só Deus para todos os povos. Também um só Mediador entre os da terra e o Céu. Não há outro, o que vem além disto, é maligno. 

O dicionário pátrio diz que mediador significa: Aquele que intervém. Continuando, diz o mesmo dicionário que intervém quer dizer intercessor. Medianeiro.

11) Na Primeira Epístola Universal de São João, capítulo 2, versículo 1, diz: “MEUS filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.”

Como advogado e o maior de todos os juristas, os que Lhe servem não apresentam nenhum requerimento escrito ao JUSTO, e fiel advogado; é só se ajoelhar aos seus pés e Lhe dirigir suas petições verbalmente, em secreto, posto que para falar com o BOM PASTOR não precisa de protocolo; não há nenhum secretário (a). Ele é tão humilde, que mesmo rejeitado por muitos, como foi no caso da Igreja de Laodicéia, não desiste; e bate à porta em busca de alguém, a fim de lhe salvar das garras do inimigo de nossas almas (Apocalipse 3:20).

Na Bíblia de Estudo do Expositor, de Jimmy Swaggart, o autor comenta o versículo 20, e não deixa dúvida quanto a humilde majestade de Jesus, conforme podemos observar: “Eis que estou à porta (apresenta Cristo fora da igreja); se alguém ouvir a Minha voz (há tanta algazarra religiosa que é difícil ouvir a Sua Voz) e abrir a porta (Cristo é a Porta  Verdadeira, o que significa que a Igreja instalou outra porta), entrarei  em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo (tendo sido rejeitado pela Igreja, nosso Senhor apela agora às pessoas, e Ele ainda está fazendo isto hoje).

Esta aqui passa de raspão pela cabeça de uns, e serve de carapuça para a cabeça dos papistas e muitos chefões religiosos. Todavia, o pastor cuidador, zeloso, com extrema humildade, não DESISTE.

12) No diálogo  de Jesus com a mulher samaritana, registrado  no Evangelho de São João, capítulo 4,versículos 23 e 24, o Mestre diz à samaritana: “Mas a hora vem,  e agora é , em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.”

Os papistas se ajoelham diante das imagens, e justificam dizendo que se trata de veneração, e não adoração.

Ora, veneração também adoração (minidicionário da língua portuguesa, de Silveira Bueno, 2ª. Edição, 2007, página 792)

Cego à verdade de Deus,  o Conselho de Nicéia não examinou as Sagradas Escrituras, jogando no lixo, portanto, o Evangelho da Graça.

13) Alheio à Verdade de Deus, o Conselho de Nicéia não leu que aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo. (Hebreus 9:27)

Desta feita, os que morreram e não se converteram dos seus pecados antes da morte física, ressuscitarão no Juízo Final tão-somente para receber a sentença, no Juízo do Trono Branco, após  o Milênio; naquele dia os mortos serão julgados pelas coisas que estarão escritas nos livros, segundo as suas obras (Apocalipse 20:12). Aqui não haverá mais salvação, pois não deram ouvidos à verdade de Deus.  

14) Por fim, não foi observado que adoramos a Deus e só Ele serviremos (Mateus 4:10)

De tal sorte, aquele que sai carregando imagens num andor estará servindo a elas, prestando-lhes honras, louvores, adoração ou veneração.   

Assim sendo, mesmo que o homem esteja no Paraíso, não ouvirá a voz dos vivos fisicamente, porém, a maioria dos que morrem, morrerão duas vezes:  na carne e no espírito.

Ademais, não existe serviço postal para o hades ou o Paraíso. Nem daqui para lá, nem de lá para cá.