RIBEIRO ROCHA JULIO 
O POLITEÍSMO CATÓLICO ROMANO
O POLITEÍSMO CATÓLICO ROMANO

 

Vimos em capítulo anterior deste trabalho, que os romanos após conquistarem os gregos, levaram como escravos os sábios gregos, a fim de educarem os filhos da nobreza romana. Como seus professores, os sábios gregos lhes ensinaram a cultura do seu país, inclusive a religião grega com vários deuses.

Desta feita, os romanos passaram a adotar os mesmos deuses, mudando, apenas, os seus nomes, nascendo deste modo os deuses greco-romanos. Religião genuinamente politeísta.

A Igreja Católica Romana seguia e segue vários deuses. Isto é politeísmo. A crença em várias divindades.

Sobre estas coisas, vejamos o que nos esclarece a Palavra de Deus no Seu santo livro:

Atos, capítulo 17, versículo 29:

Sendo nós pois geração de Deus, não havemos de cuidar que a divindade seja semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício e imaginação dos homens.” (Grifo nosso)

Os seres humanos são geração de Deus, portanto, é impossível pensar em Deus como as imagens feitas de ouro, prata, de pedras, de gesso, de madeira. Os tais materiais são trabalhos feitos pela arte e imaginação do homem. Com efeito, são seres inferiores ao ser humano, tornando-se geração do homem, enquanto o homem é geração de Deus.

Colossenses 2:8-9:

 “Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofia e vãs subtilezas, segundo a tradição dos homens – grifo nosso -, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo;  Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade.”

Nele, quer dizer: CRISTO.

O comentarista  William MacDonald diz que a tradição dos homens são os ensinamentos  religiosos inventados pelos homens e que não são  verdadeiramente fundamentados nas Escrituras.

O dicionário pátrio nos explica, precisamente, o significado das palavra sutileza.

Vejamos:

SUTILEZA: Qualidade de sutil; tenuidade; delicadeza; agudeza; penetração de espírito; argumento ou raciocínio próprio para embaraçar outra pessoa.

Plenitude: Estado do que se acha completo, inteiro, cheio; Superabundância, grandeza.

O Dicionário Bíblico Wycliffe, página 569, diz:

Divindade: O termo “Divindade” enfatiza o monoteísmo e a unidade das três pessoas da Trindade, e protege contra uma visão politeísta de Deus.