RIBEIRO ROCHA JULIO 
Cap 15 - O SENHOR DEUS CHAMOU A ABRÃO
Cap 15 - O SENHOR DEUS CHAMOU A ABRÃO

 

           Mais uma vez, o mundo vivia mergulhado em pecados, razão pela qual o Senhor Deus levantou um homem chamado Abrão, do qual sairia o semente que geraria um povo santo e escolhido; e Senhor fez promessa a Abrão.

           “Ora, o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma benção.” (Gn 12.1-2)

           Disse mais o Senhor Deus a Abrão: “E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gn 12.3-4)

           Abrão cumpriu a ordem de Deus

           “Assim, partiu Abrão, como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã. E tomou Abrão a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e toda a sua fazenda, que haviam adquirido, e as almas que lhe acresceram em Harã; e saíram para irem à terra de Canaã; e vieram à terra de Canaã.” (Gn 12.4-5)

           Abrão creio em Deus, e não duvidou

           O texto sagrado diz que Abrão creu no Senhor, e “foi-lhe imputado isto por justiça. (Gn 15.6); Porque a promessa de Deus feita a Abrão, que havia de ser herdeiro do mundo, não foi feita pela lei, ou à sua posteridade, mas pela justiça da fé (Rm 4.13); E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus (Tiago 2. 23 ).”

           Cheio de fé, Abrão passou por aquela terra até ao lugar de Siquém, até ao carvalho de Moré; e estavam, então, os cananeus na terra (Gn 12.6)

           O Senhor Deus apareceu a Abrão e disse-lhe: “...à tua semente darei esta terra. E edificou ali um altar ao SENHOR, que lhe aparecera.” (Gn 12.7)

                  Abrão segue para outro lugar

           O texto sagrado diz que Abrão “moveu-se dali para a montanha banda do oriente de Betel e armou a sua tenda, tendo Betel ao ocidente e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR. (Gn 12.8)

           Abrão desarmou a tenda

           Depois, caminhou Abrão dali, seguindo ainda para a banda do Sul. E havia fome naquela terra; e desceu Abrão ao Egito, para peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra. (Gn 12.9-10)

           Devido a fome, Abrão foi peregrinar, buscando alimentos para ele, sua esposa, seus parentes e servos, e para os animais.

           Abrão mandou Sarai mentir 

           E aconteceu que, chegando ele para entrar no Egito, disse a Sarai, sua mulher: Ora, bem sei que és mulher formosa à vista; e será que, quando os egípcios te virem, dirão: Esta é a sua mulher. E matar-me-ão a mim e a ti te guardarão em vida. Dize, peço-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma por amor de ti.” (Gn 12.11-13)

           Orientada por seu esposa, Sarai mentiu, e Faraó se precipita, conforme os versículos 14 a 16, que descrevem:

           “E aconteceu que, entrando Abrão no Egito, viram os egípcios a mulher, que era mui formosa. E viram-na os príncipes de Faraó e gabaram-na diante de Faraó; e foi a mulher tomada para a casa de Faraó. E fez bem a Abrão por amor dela; e ele teve ovelhas, e vacas, e jumentos, e servos, e servas, e jumentas, e camelos.”

           Certo de que Sarai se tratava de irmã, mandou presentes para Abrão, tais como: ovelhas, vacas, jumentos, servos, servas, jumentas e camelos, tornando Abrão mais rico.

           Arrependido, Faraó chamou Abrão

  “Então, chamou Faraó a Abrão e disse: Que é isto que me fizeste? Por que não me disseste que ela era tua mulher? Por que disseste: é minha irmã? De maneira que a houvera tomado por minha mulher; agora, pois, eis aqui tua mulher; toma-a e vai-te.” (Gn 12.18-19)

           Então, Faraó deu ordens aos seus varões a respeito de Abrão, os quais o acompanharam e a sua mulher, e a tudo o que tinha (Gn 12.20)