RIBEIRO ROCHA JULIO 
Cap 22 - A DESTRUIÇÃO DE SODOMA E GOMORRA
Cap 22 - A DESTRUIÇÃO DE SODOMA E GOMORRA

 

O Deus conhecendo o coração de Abraão, pois esta primazia só pertence ao Senhor,  anunciando a Abraão  as providências contra os habitantes  devassos de duas cidades, conforme registram os versículos de 16 a 33, que veremos.

           O versículo16 diz que aqueles varões se levantaram dali e olharam para a banda de Sodoma; e Abraão ia com eles, acompanhando-os.

           O Senhor Deus disse: “Ocultarei eu a Abraão o que faço (versículo 17), visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra? (versículo 18)

           O Senhor Deus, que conhecia Abraão,  disse “...que ele há de ordenar a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do SENHOR, para agirem com justiça e juízo; para que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que acerca dele tem falado” (versículo 19).

           O pecado de Sodoma e Gomorra se agravou

           “Disse mais o SENHOR: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito, descerei agora e verei se, com efeito, têm praticado segundo este clamor que é vindo até mim; e, se não, sabê-lo-ei.” (versículos 20 e 21)

           Os anjos  foram cumprir a missão

           Então, viraram aqueles varões o rosto dali e foram-se para Sodoma; mas Abraão ficou ainda em pé diante da face do SENHOR.” (versículos 22)

           A primeira intercessão de Abraão

           E chegou-se Abraão, dizendo: Destruirás também o justo com o ímpio? Se, porventura, houver cinquenta justos na cidade, destruí-los-ás também e não pouparás o lugar por causa dos cinquenta justos que estão dentro dela? Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio; que o justo seja como o ímpio, longe de ti seja. Não faria justiça o Juiz de toda a terra?” (versículos 23 a 25)

            Senhor disse a Abraão que “Se eu em Sodoma achar cinquenta justos dentro da cidade, pouparei todo o lugar por amor deles.”

           A segunda intercessão de Abraão

           Abraão fez segunda intercessão, dizendo: E respondeu Abraão, dizendo: “Eis que, agora, me atrevi a falar ao Senhor, ainda que sou pó e cinza. Se, porventura, faltarem de cinquenta justos cinco, destruirás por aqueles cinco toda a cidade? E Deus disse: “Não a destruirei, se eu achar ali quarenta e cinco.” (versículos 27 e 28)

           A terceira intercessão de Abraão

           “E continuou ainda a falar-lhe e disse: Se, porventura, acharem ali quarenta? E disse: Não o farei, por amor dos quarenta.” (versículo 29)
           A quarta intercessão de Abraão

           “Disse mais: Ora, não se ire o Senhor, se eu ainda falar: se, porventura, se acharem ali trinta? E disse: Não o farei se achar ali trinta. E disse: Eis que, agora, me atrevi a falar ao Senhor: se, porventura, se acharem ali vinte? E disse: Não a destruirei, por amor dos vinte.” (versículos 30 e 31)

           A quinta intercessão de Abraão

           “Disse mais: Ora, não se ire o Senhor que ainda só mais esta vez falo: se, porventura, se acharem ali dez? E disse: Não a destruirei, por amor dos dez.” (versículo 32)

           O versículo 33 diz que “E foi-se o  Senhor, quando acabou de falar a Abraão; e Abraão tornou ao seu lugar.”

           Ló recebeu os dois anjos em sua casa

           O texto sagrado nos diz que “...vieram os dois anjos a Sodoma à tarde, e estava Ló assentado à porta de Sodoma; e, vendo-os Ló, levantou-se ao seu encontro e inclinou-se com o rosto à terra (Gn 19.1), e Ló disse-lhes: “Eis agora, meus senhores, entrai, peço-vos, em casa de vosso servo, e passai nela a noite, e lavai os vossos pés; e de madrugada vos levantareis e ireis vosso caminho. E eles disseram: Não! Antes, na rua passaremos a noite (versículo 2)

           Ló era um homem temente a Deus, e piedoso, pois no versículo 3, diz que Ló porfiou com os anjos muito, e vieram com ele e entraram em sua casa; e fez-lhes banquete e cozeu bolos sem levedura, e comeram (versículo 3)

           Porfiou: verbo porfiar, 3ª pessoa  do pretérito perfeito, quer dizer teimar. E assim, Ló insistiu, e os anjos aceitaram.

           Pelo texto, vê-se que Ló não estava em sua casa, pois diz:  “e estava Ló assentado à porta de Sodoma.”

           Varões daquela cidade devassa foram à casa de Ló             

           Antes que Ló, sua família e os dois hóspedes se deitassem, descreve o texto sagrado que “...cercaram a casa os varões daquela cidade, os varões de Sodoma, desde o moço até ao velho; todo o povo de todos os bairros (versículo 4)

           Os tais varões chamaram Lá, ao qual lhe disseram: “Onde estão os varões que a ti vieram nesta noite? Traze-os fora a nós, para que os conheçamos.” (versículo 5)    

           Aqueles devassos impenitente queriam sodomizar os dois anjos, cujos varões estavam com toda fúria.

           Ló ofereceu aos sodomitas suas duas filhas virgens, conforme os versículos  6 a 8, que descrevem: “Então, saiu Ló a eles à porta, e fechou a porta atrás de si, e disse: Meus irmãos, rogo-vos que não façais mal. Eis aqui, duas filhas tenho, que ainda não conheceram varão; fora vo-las trarei, e fareis delas como bom for nos vossos olhos; somente nada façais a estes varões, porque por isso vieram à sombra do meu telhado.”

              Ló, servo do Deus Altíssimo, o único justo morando naquela cidade perdida, sacrificaria as suas próprias filhas, a fim de defender a dignidade dos seus dois hóspedes, porquanto, ainda não sabia que os dois eram seres celestiais, que chegaram ali, a fim de cumprir um propósito do Senhor Deus.

                        Os sodomitas responderam com desaforo

                        Os muito furioso, moradores daquela cidade preferiram dirigir afrontas a Ló, conforme descreve o texto, que se segue:

            Eles, porém, disseram: Sai daí. Disseram mais: Como estrangeiro, este indivíduo veio aqui habitar e quereria ser juiz em tudo? Agora, te faremos mais mal a ti do que a eles. E arremessaram-se sobre o varão, sobre Ló, e aproximaram-se para arrombar a porta.” (versículos 9)

         O escritor Flávio Josefo, no seu livro História dos Hebreus, diz que “Os povos de Sodoma, cheios de orgulho por sua abundância e grandes riquezas, esqueceram-se dos benefícios que haviam recebido de Deus e não foram menos ímpios para com Ele do que ultrajosos para com os homens. Odiavam os estrangeiros, e chafurdaram-se em prazeres inomináveis. Deus, irritado pelos seus crimes, resolveu castigá-los: destruir a sua cidade de tal modo que não restasse o menor vestígio dela, tornando o país tão estéril que jamais pudesse produzir fruto ou planta alguma.”

         Continuando falando sobre os sodomitas, Fávio Josefo diz que “Os habitantes dessa detestável cidade, vendo-os tão belos e tão apresentáveis, pediram a Ló, em cuja vasa eles haviam entrado, que os entregasse, para que se servissem deles...”

         Como já vimos, Ló, que era justo, ofereceu as suas duas próprias filhas, porém, os devassos não as aceitaram. A filhas de Ló eram virgem, mas prometidas em casamento, razão pela qual os seus noivos eram tratados como genros.  

         Como com Deus ninguém brinca, pois os anjos estavam ali, a fim de cumprir uma missão dada pelo Senhor, receberam, inicialmente o primeiro castigo, conforme os versículos 10 e 11 descrevem:

         Aqueles varões, porém, estenderam a sua mão, e fizeram entrar a Ló consigo na casa, e fecharam a porta; e feriram de cegueira os varões que estavam à porta da casa, desde o menor até ao maior, de maneira que se cansaram para achar a porta.”

         Os anjos anunciaram a destruição daquele lugar                

         Naquela cidade perdida só Ló e sua casa serviam ao Deus Altíssimo, razão pela qual disseram os anjos a Ló:

         “...Tens alguém mais aqui? Teu genro, e teus filhos, e tuas filhas, e todos quantos tens nesta cidade, tira-os fora deste lugar (versículo 12), pois nós vamos destruir este lugar, porque o seu clamor tem engrossado diante da face do SENHOR, e o SENHOR nos enviou a destruí-lo (vrersículo 13)”.

        Os anjos perguntaram a Ló “Tens alguém mais aqui?”, citando a parentela “Teu genro, e teus filhos, e tuas filhas, e todos quantos tens nesta cidade, tira-os fora deste lugar”, porque  eles (os anjos) não tem a onisciência do Deus, pois só o Senhor tem tal atributo, visto que sabe tudo.

         Ló avisou aos seus genros, porém, eles debocharam do sogro, conforme o versículo 14, que descreve:

         “Então, saiu Ló, e falou a seus genros, aos que haviam de tomar as suas filhas, e disse: Levantai-vos; saí deste lugar, porque o SENHOR há de destruir a cidade. Foi tido, porém, por zombador aos olhos de seus genros.”

         Os genros de Ló conhecendo o seu sogro o tiveram como zombador, e não lhes deram ouvidos.

         Diz o texto sagrado que ao amanhecer, os anjos apertaram Ló, dizendo-lhe: “Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que aqui estão, para que não pereças na injustiça desta cidade” (versículo 15)

        Ló, porém, demorava-se, e “...aqueles varões lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher, e pela mão de suas duas filhas, sendo-lhe o Senhor misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade.” (versículo 16)

       

         Os anjos levaram Ló, sua esposa e filhas para fora, dizendo-lhes: “Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti e não pares em toda esta campina; escapa lá para o monte, para que não pereças.”

         Ló reconhece a misericórdia de Deus, pois achou graça aos olhos do Senhor,  e fez uma exclamação “Assim, não, Senhor!” (versículo 18); prosseguindo, disse Ló: “Eis que, agora, o teu servo tem achado graça aos teus olhos, e engrandeceste a tua misericórdia que a mim me fizeste, para guardar a minha alma em vida; mas não posso escapar no monte, pois que tenho medo que me apanhe este mal, e eu morra.” (versículo 19)

        Continuando, diz Ló: Eis, agora, aquela cidade está perto, para fugir para lá, e é pequena; ora, para ali me escaparei (não é pequena?), para que minha alma viva. E disse-lhe: Eis aqui, tenho-te aceitado também neste negócio, para não derribar esta cidade de que falaste.” (versículos 20 e 21)

            Os comentaristas do Beacon, falando sobre Ló, dizem que “Os vagos perigos das montanhas lhe metiam mais medo, por isso rogou pelo privilégio de se esconder em uma aldeia vizinha chamada Zoar, que quer dizer  pequena. Um dos anjos lhe concedeu o pedido, mas o exortou que chegasse à aldeia  o mais rápido possível.”

            Um  anjo mandou Ló apressar, conforme diz o versículo 22, que descreve:

          “Apressa-te, escapa-te para ali; porque nada poderei fazer, enquanto não tiveres ali chegado. Por isso, se chamou o nome da cidade Zoar.”

            Chegou o novo dia e com ele, veio o castigo de Deus

            “Saiu o sol sobre a terra, quando Ló entrou em Zoar (versículo 23), e só deu tempo mesmo Ló chegar à aquela cidade,  e “Então, o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra (versículo 24).  E derribou aquelas cidades, e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra.” (versículo 25)

        Ló chegou à cidade de Zoar ao amanhecer, no momento exato da destruição

        

           


           

            Diz o comentarista que Ló chegou ao momento exato, pois a hora da destruição foi ao amanhecer.

            A mulher de Ló olhou para trás

            Não sendo crente, pois não acreditou nos anjos, a mulher de Ló olhou para trás,  e lá ficou, convertida numa  estátua de sal (versículo 26).

            Ela desobedeceu à Palavra  do Senhor (versículo 17). A Bíblia de Estudo do Expositor diz que “No hebraico, significa que “ela seguia olhando para trás atentamente, com saudades  e com desejo de voltar”; o coração dela estava em Sodoma; e, agora, lamentavelmente, agora está no inferno.” – Jimmy Swaggart.

            Abraão viu a fumaça do incêndio

            Os versículos 27 a 29, do mesmo capítulo 19, descrevem a destruição das duas cidades – Sodoma e Gomorra, conforme segue-se:

            E Abraão levantou-se aquela mesma manhã de madrugada e foi para aquele lugar onde estivera diante da face do SENHOR. Abraão olhou para Sodoma e Gomorra e para toda a terra da campina; e viu, e viu que a fumaça da terra subia, como a fumaça duma fornalha. E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina, Deus se lembrou de Abraão e tirou Ló do meio da destruição, derribando aquelas cidades em que Ló habitara.”

            O texto diz  que Abraão “...levantou-se aquela mesma manhã de madrugada...” O comentarista diz que Abraão estava orando. E acredito que sim!

            Essas duas cidades  localizavam-se no extremo sul do Mar Morto. O calor das chama foi tão forte que ficou só a mancha.

             Jimmy Swaggart, autor da Bíblia de Estudo do Expositor, diz que as palavras “lembrou-se Deus de Abraão” declaram o fato de que a petição  intercessora de Abraão não ficou sem resposta; neste contexto, Abraão é um tipo de Cristo, pois serve como mediador entre Deus e Ló.”

            Do meu entendimento, há um ligeiro equivoco quando o comentarista diz: “Abraão é um tipo de Cristo, pois serve como mediador entre Deus e Ló”      

         No versículo 30, do mesmo capítulo 19, diz que  “...subiu Ló de Zoar e habitou no monte, e as suas duas filhas com ele, porque temia habitar em Zoar; e habitou numa caverna, ele e as suas duas filhas.”

         O comentarista diz que “ao ter desobedecido  ao Senhor, Ló vive agora com medo; ele teme que Deus destrua Zoar e, por isso, muda-se para um monte próximo.” – Bíblia de Estudo do Expositor, de Jmmy Swaggart.

         Ló, que era muito rico, perdera toda a sua riqueza e foi morar, com suas duas filhas, numa caverna.

         As filhas de Ló planejam deitasse com seu própria pai

         Os versículos 31 a 32 dizem que a primogênita disse à menor  que seu pai  já estava velho, e não havia homem para com elas casar, segundo o costume de toda a terra. As duas moças se combinaram embriagar  o seu pai com vinho, a fim de executarem o tal plano, para que em vida conservassem  semente de seu pai.

         Morrendo Ló, suas filhas ficariam só, elas não teriam uma companhia masculina, sem a existência de parentes, razão pela qual arquitetaram um plano para terem filhos do seu próprio pai. Porém, o Senhor Deus ainda não havia dado mandamentos, que se encontram  no livro de Êxodo, capítulo 20, versículo 14, que diz “Não adulterarás.” Não obstante, programaram um terrível pecado. Porém, elas estavam em desespero, sem esperança de conseguirem novos noivos, e casarem-se.

          Conforme o combinado, elas embriagaram Ló

          Elas deram vinho para o pai beber naquela noite;  primeiro foi a primogênita e deitou-se com seu pai, e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou (versículo 33), e no outro dia a primogênita disse à menor que na noite anterior havia se deitado com o seu pai, e disse-lhe “...demos-lhe a beber vinho também esta noite, e então entra tu, deita-te com ele, para que em vida conservemos semente de nosso pai (versículo 34).”  Diz o texto do versículo 35 que na noite seguinte, as filhas de Ló lhe deram vinho, sendo a vez da menor, que diz:  “e levantou-se a menor e deitou-se com ele; e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou.”

         Diz o comentarista que “não foi uma orgia de bebedeira, mas, mesmo assim, foi um pecado horrível...” – Biblia de Estudo do Expositor, de Jmmy Swaggart.

         Os comentarista do Beacon dizem que “A história final da vida de Ló não é aprazível. Como Noé (9.20-23), Ló se enredou  com vinho (32) depois da espetacular fuga da morte. Mas, neste exemplo, suas filhas também se envolveram. Ló acabou se recolhendo nos montes, apesar dos seus temores anteriores (19), e estabeleceu casa em uma caverna remota.”

         Os netos e filhos de Ló

         O texto sagrado registra o nascimento dos filhos de Ló, e ao mesmo tempo seus netos, conforme os versículos 36 e 39, do mesmo capítulo 19, que descrevem:

        “E conceberam as duas filhas de Ló de seu pai. E teve a primogênita um filho e chamou o seu nome Moabe; este é o pai dos moabitas, até ao dia de hoje.  E a menor também teve um filho e chamou o seu nome Ben-Ami; este é o pai dos filhos de Amom, até o dia de hoje.”

Da descendência de Moabe surgiram os moabitas, os quais eram nômades que se estabeleceram a leste do mar Morto, no século XIII a.C.,  numa região  que depois seria chamada de Moabe.

Como vimos, de Bem-Ami, que foi a pai dos fillhos Amam, os quais receberam os nomes de amonitas, amoritas, amom ou filhos de amom, e habitaram  numa região da Mesopotâmia.