RIBEIRO ROCHA JULIO 
Cap 19 - SARAI DEU AGAR POR MULHER A ABRÃO
Cap 19 - SARAI DEU AGAR POR MULHER A ABRÃO

 

           Ora, Sarai, mulher de Abrão, não lhe gerava filhos, e ele tinha uma serva egípcia, cujo nome era Agar.  E disse Sarai a Abrão: Eis que o SENHOR me tem impedido de gerar; entra, pois, à minha serva; porventura, terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai. (Gn 16.1-2)

           Sarai impossibilitada de ter filhos, pois era estéril, mas precisava ter filhos, então, ela (Sarai) disse a seu esposo Abrão que possuísse a sua escreva Agar, de nacionalidade Egípcia, a fim de ter filhos através de sua serva.

           Nos versículos seguintes, 3 e 4, complementam dizendo que “Sarai, mulher de Abrão, deu-lhe Agar por mulher a seu marido, ao fim de dez anos que  Abrão habitava na terra de Canaã; e Abrão possuindo-a, eis que Agar concebeu; e, vendo ela que concebera, desprezou a sua senhora aos seus olhos.

           Agar queria inverter os valores; ela queria se tornar senhora,  desprezando Sarai, que lhe havia prestigiado, ao permitir que ala tivesse um filho com o seu senhor Abrão.

           Com o coração abalado, disse Sarai ao seu marido Abrão: “Meu agravo seja sobre ti. Minha serva pus eu em teu regaço; vendo ela, agora, que concebeu, sou menosprezada aos seus olhos. O SENHOR julgue entre mim e ti.” (versículo 5)

           Abrão entregou Agar à decisão de Sarai, conforme descreve o texto que segue: “...Eis que tua serva está na tua mão; faze-lhe o que bom é aos teus olhos. E afligiu-a Sarai, e ela fugiu de sua face.” (versículo 6)

           Flávio Josefo, autor de História dos Hebreus, diz que “Quando a escrava se sentiu grávida, desprezou a sua senhora e vangloriou-se de que os seus filhos seriam um dia os herdeiros de Abraão. Esse homem justo ficou horrorizado com aquela ingratidão e deixou Sara à vontade para castigar a escrava como bem entendesse...”

           O anjo do Senhor vai ao encontro de Agar

           No texto sagrado  consta que o anjo do Senhor achou Agar, e lhe perguntou a Agar de onde ele vinha e para onde ia, conforme os versículos 8 e 9, descrevem: “...o Anjo do SENHOR a achou junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur. E disse: Agar, serva de Sarai, de onde vens e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai, minha senhora.”

           Agar, que devia ter pedido perdão à sua senhora, tomara a pior decisão,  de fugir, deixando, pois que a emoção assumisse o comando da razão. Ela, porém, não negou, dizendo que ia fugindo da face de Sarai, sua senhora.

           Dizem os comentaristas do Beacon que “Agar estava a caminho de sua pátria, o Egito, quando o Anjo do SENHOR lhe apareceu numa fonte ao chegar ao deserto de Sur.” – Comentário Bíblico Beacon, de vários autores. 

           O anjo mandou Agar voltar e lhe fez promessa, segundo o desejo do Senhor Deus, conforme os versículos 9 e 10, que descrevem:      

           Então, lhe disse o Anjo do SENHOR: Torna-te para tua senhora e humilha-te debaixo de suas mãos. Disse-lhe mais o Anjo do SENHOR: Multiplicarei sobremaneira a tua semente, que não será contada, por numerosa que será.”

           O anjo diz a Agar que a sua semente seria muito grande, que não se podia contar, pois seria imensa.

           O anjo continuou  conversando com Agar, e disse que ela concebeu e teria um filho; disse-lhe que o nome do menino seria Ismael, porquanto o Senhor ouvira a sua aflição (versículo 11); O anjo disse que Ismael seria homem bravo, que sua mão seria contra todos, e a mão de todos contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos (versículo 12)

           Agar orou a Deus, e o Senhor mandou o anjo em seu socorro, e anunciar as benções que Deus lhe daria.

            Agar chamou o nome do SENHOR, que com ela falava, dizendo: “Tu és Deus da vista, porque disse: Não olhei eu também para aquele que me vê? Por isso, se chama aquele poço de Laai-Roi; eis que está entre Cades e Berede.” (versículos 13 e 14)

           “E Agar deu um filho a Abrão; e Abrão chamou o nome do seu filho que tivera Agar, Ismael. E era Abrão da idade de oitenta e seis anos, quando Agar deu Ismael a Abrão.” (vv.15 e 16)