Wordpress, Prestashop, Joomla, Drupal e outros com Domínio e Certificado Grátis
Cap 156 Com a área econômica
Cap 156 Com a área econômica

           Na sexta-feira foi realizada a reunião com as presenças dos doutores Jaime Mariz e Roberto Furtado, Secretários de Planejamento e Administração, simultaneamente. Fazia-se presente o Secretário de Segurança invés do Comandante da Polícia Militar.

O general, mais uma vez, tomou a defesa do estado, dizendo:

  • Mas, para dar aumento a vocês, o professor também vai querer.
  • Secretário, nós não estamos pedindo reajuste de vencimentos, não. Nós queremos, apenas, que a nossa legislação e a Constituição Estadual sejam respeitadas. E se o professor tem direito, vá à justiça - fez este esclarecimento um dos membros da comissão.

E o secretário ficou:

“Mas... mas.. mas...” E não saiu do mas...mas...

Não houve nenhum avanço na reunião, sendo marcada outra para a sexta-feira seguinte, que também foi sem sucesso. E marcaram uma terceira reunião. Nesta, eles disseram que só podiam dispor de 500 mil reais para distribuir nos contracheques dos policiais. Ora, aumentava perto de 3 milhões e 500 mil reais na folha de pagamento da corporação, portanto, não se via nenhuma possibilidade de fechar  uma negociação satisfatória, isto porque  retiraria, apenas, o abono e seguia-se a infeliz tabela do general: Aluno Soldado 120, Soldado 121, e o Cabo 123 reais de soldo, chegando ao subtenente, o ridículo percentual de  3%, com soldo de 195 reais. Todavia, pela ação judicial seria de soldo: Soldado PM - 240 reais, chegando ao subtenente um soldo de 540 reais. Mas, as línguas sujas andaram dizendo que a questão não foi resolvida porque eu e a comissão não aceitamos a proposta do governador.

Em razão da indisposição do governo, chegamos à conclusão que ele queria era ganhar tempo, não existindo nenhum interesse para resolver a nossa questão, especialmente, contando com o testa de ferro que colocara à frente da Secretaria de Segurança Pública, cuja presença nos quartéis deixava grande número de coronéis se tremendo de medo.

O governador - aquele bom candidato que prometeu resolver a questão salarial dos policiais sem precisar de continuar a luta na justiça - percebeu a fraqueza do alto comando, que para agradar aos gregos e troianos se posicionava literalmente contra à causa e evitava tocar no assunto.

À hora das assembléias, os comandantes, tanto Mesquita como Gadelha, convocavam os presidentes das 3 fortes associações ao Gabinete do Alto Comando, os quais retornavam ao Clube Tiradentes de cabeças totalmente manipuladas por seu comandante.