+250 Plataformas Grátis com cPanel, PHP, MySQL, Emails e SSL Grátis
Cap 46 A Casa do Sargento
Cap 46 A Casa do Sargento

 

             Tão logo ocorreu a posse da nova diretoria, fomos convidados  para uma reunião que se realizaria na Assen - Associação dos Subtenentes e Sargentos do Exército em Natal. Chegamos à hora marcada. Tratava-se de um encontro dos sargentos das quatro forças, tendo em pauta vários assuntos, dentre os quais  a situação nacional.

Faltou espaço!

Abrindo os trabalhos, usou a palavra um sargento da Aeronáutica, o qual  se  referiu  sobre  a  finalidade  daquela  reunião  e  apresentou os companheiros que haviam chegado de Brasília, de São Paulo, e do Rio de Janeiro, com a finalidade de participarem daquele encontro. O orador, num longo e eloqüente discurso, explicou que o planejado evento tinha  o objetivo de fundar uma filial da Casa do Sargento, já existente em quase todos os estados, com sede no Distrito Federal.

O segundo que falou foi o representante da diretoria da matriz daquela instituição. O tema principal, evidentemente,  abordado foi a importância da entidade de classe recentemente fundada, tendo como finalidade essencial a união dos sargentos das Forças Armadas e Polícias Militares do Brasil. Encerrando o seu discurso, submeteu à apreciação dos presentes a criação da filial no Rio Grande do Norte. Foi aprovada, à unanimidade.

Sucederam-se outros oradores. Todos bons! Com veemência defendiam a união dos subtenentes e sargentos. Deram um banho de conhecimento sobre a realidade brasileira. Tudo que eles falavam era só para o bem do Brasil. Divulgaram a relação de vários livros existentes nas livrarias e bancas de revistas. Leram trechos de alguns daqueles livros.

Para encerrar o evento, foi eleita a diretoria representativa no Rio Grande do Norte, cabendo a primeira secretaria a um companheiro da Polícia Militar, que lavrou a sua primeira ata num livro destinado para tal fim.

Casa do Sargento, criada por um segmento militar visto como a espenha dorsal da tropa,  foi motivo de tremenda dor de cabeça para as autoridades militares de todo o país.

Os comandantes militares, especialamente, entendiam que os sargentos estariam a poucos passos para efetivarem um movimento nacional, considerando a valocidade como os fatos se desenrolavam.