RIBEIRO ROCHA JULIO 
Cap 79 Busquei nova vida
Cap 79 Busquei nova vida

 

          Passei dez meses sem conseguir trabalho. Os compromissos com o pagamento do colégio dos meninos estavam atrasados. Não conseguia nenhuma perspectiva de melhoria de vida.

Cheguei, certa manhã, muito desiludido ao serviço dos inativos, quando me disseram que o major Freire, que já estava na Reserva Remunerada da Polícia Militar, queria falar comigo na Fábrica de refrigerantes da Coca-Cola.

Sem perder tempo, procurei o major Freire, que há um mês assumiria a chefia de segurança da empresa, porém, não queria ficar naquele trabalho. O major levou-me à presença do senhor Ari, gerente geral da empresa, que conversou comigo por mais de duas horas. O gerente era extremamente caxias. E fazia muitas exigências. Depois de bastante conversa, o mesmo perguntou-me:

  • Aceita o emprego, sargento!?
  • Aceito! - respondi.

De imediato, o senhor Ari mandou chamar a chefe de pessoal, a quem determinou que me contratasse chefe de segurança e de serviços gerais. Naquele mesmo dia assumi o meu primeiro emprego civil. As exigências eram até mais rigorosas que as da caserna, mas, existia respeito às pessoas, coisa que não era colocada bem em prática na Polícia Militar.

Na Coca-Cola permaneci 8 meses. A empresa fabricante dos refrigerantes quebrara, e não só eu, como todos os funcionários, ficamos desempregados.

Não fiquei mais parado. Fui trabalhar como vendedor de extintor de incêndio. Trabalhei para diversas empresas de turismo, sempre na área de vendas. Tornei-me um profissional desta área com razoável habilidade.