Wordpress, Prestashop, Joomla, Drupal e outros com Domínio e Certificado Grátis
Cap 4 Os trabalhadores do eito
Cap 4 Os trabalhadores do eito

 

     Meu padrinho tinha grandes plantações de algodão. Sua propriedade ficava vizinha à Fazenda Uirapuru, de propriedade do major de patente comprada Theodorico Bezerra.

Pela manhã, bem cedo, chegaram os homens do eito da mão-de-obra alugada, que trabalhavam limpando o mato.  Padrinho João era homem de barriga cheia. Os trabalhadores tomavam café, lanchavam, almoçavam e jantavam por conta dele.

Ao meio-dia, após o almoço, eles, durante uns 10 minutos, se deitavam no chão debaixo do alpendre ou repousavam na sombra das quixabeiras. E recomeçavam no eito.

Os filhos de meu padrinho não trabalhavam com ele. André vivia mais em São José de Campestre, onde namorava a Isaura, sua noiva, com a qual se casou. O casamento, entretanto, não durou muito. Zezinho, que era casado, tinha a sua vida independente. Rosemiro servia na Guarda Civil do Estado de Pernambuco. Cristiano - o segundo filho casado - era funileiro num lugarejo chamado Riacho, que depois mudou para Tangará. Maria e Severina moravam em Natal, Capital do Rio Grande do Norte.

Todo fim de ano, a família se reunia. Era muita alegria floreada com vinho;  com queijo feito pelas delicadas mãos de madrinha Guilhermina; e muito peru cevado  caprichosamente  no quintal da casa grande.

No final da safra daquele meu primeiro ano, os 8 quartos da casa grande ficaram superlotados com sacas de feijão, milho e amontoados de algodão. Foi uma supersafra cheia de alegria para o agricultor. Contudo, devido a grande safra o produto  caíra  de preço, e quem vendeu algodão na folha, não fizera bom negócio. Assim, alguns produtores apenas liquidaram o débito. E estocaram feijão e milho para o consumo da família, porém, só chegaria até o início do próximo inverno.

Meu padrinho, que não tinha nenhum débito, armazenou toda a produção e só vendeu na alta.

André, que no final daquele ano queria se casar, resolvera cuidar de um bom pedaço de terra; plantou milho, feijão e algodão, e fez boa colheita. No final do ano, vendeu o produto que estava com ótimo preço.